Campanha pretende combater preconceito contra indígenas


Manaus/AM - Desde o início da luta pela demarcação da terra indígena Raposa Serra do Sol até o julgamento pelo Supremo Tribunal Federal – STF, em março passado, os indígenas de Roraima enfrentaram todo tipo de discriminação e preconceitos. Agentes do poder público, que deveriam ser os primeiros a zelar pelo cumprimento das leis e respeitar os direitos de todos os cidadãos e cidadãs, foram os primeiros a rasgar a Constituição e partir para o ataque aos indígenas daquela terra.De um modo geral, todos os povos indígenas tem sentido na pele as conseqüências do preconceito por parte do poder econômico e político. Não são raras as vezes em que os povos da região amazônica são acusados de serem manipulados por ONG’s com intenção de internacionalizar a região, dentre muitos outros absurdos, como o recente caso envolvendo os Kulina do alto Juruá, no Amazonas, pela prática de canibalismo. Na manhã desta quarta-feira, 15/04, teve início uma rodada de debates na Universidade Federal do Amazonas – Ufam, marcando o pré-lançamento da Campanha “ Povos Indígenas na Amazônia: Presente e Futuro da Humanidade”, tendo como realizadoras várias entidades e organizações populares, encabeçadas pela Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira – Coiab, representada na ocasião por Sebastião Manchineri.No painel da manhã esteve em foco a participação dos poços indígenas da Amazônia na construção de políticas públicas, debatido somente por lideranças indígenas com estudantes de vários cursos da Ufam. À tarde o debate continua, com participação, agora, de representantes de entidades de apoio e universidades. Amanhã, 16/04, estará em pauta o tema sobre os direitos indígenas ameaçados, onde serão abordas as conseqüências para os indígenas das restrições impostas pelo STF ao final do julgamento da ação contra a demarcação da terra raposa serra do sol. Lançamento – No próximo domingo, às 17 horas, será lançada oficialmente em Manaus a Campanha “Povos Indígenas: Presente e Futuro da Humanidade”, no Palacete Provincial localizado na Praça Heliodoro Balbi (Praça da Polícia). O evento contará com uma vasta programação onde estão incluídas exibições de filmes abordando a temática indígena e apresentações de grupos indígenas de música e dança. Ao todo, 20 entidades de apoio, organizações indígenas e instituições públicas organizam o evento.
ATIVIDADES NA PRAÇA HELIODORO BALBI - (Antiga Praça da Polícia)
Lançamento da Campanha Povos Indígenas na Amazônia: presente e futuro da humanidadeDIA 19/04/2008 - 16h30 às 17h - Mobilização e sensibilização do público com panfletagem do folder da campanha.
AUDITÓRIO – PALACETE PROVINCIAL17h às 17h30 - Abertura da Campanha com apresentação das entidades parceiras.
ARENA – PALACETE PROVINCIAL
Apresentação dos grupos indígenas17h30 às 18h - Apresentação do grupo indígena Wotchmaucu – Povo Tikuna.18h às 18h30 - Apresentação do grupo de Dança Indígena do Povo Munduruku18h30 às 19h - Apresentação do Grupo Inhã-Bé Cury – Povo Sateré-Mawé
SALA DE VÍDEO – PALACETE PROVINCIAL
Exibição de filmes etnográficos
19:00h – 19:10: Exibição do vídeo da Campanha19:10h – 19:35h: Documentário: Ou vai ou racha: 20 anos de luta (Roraima, 1998, 31 minutos)Diretor: Vincent Carelli e Mari Corrêa.Fotografia: Vincent Carelli.Edição: Mari CorrêaProdução: Vídeo nas Aldeias.Sinopse: Em abril de 1997, os índios Macuxi do norte de Roraima comemoram vinte anos do movimento pelo reconhecimento da área indígena Raposa Serra do Sol onde vivem cerca de treze mil índios. Para a festividade, os estudantes da escola indígena encenam os episódios mais importantes de sua história e de sua luta, comentados por seus protagonistas. O documentário foi concluído com a participação dos habitantes da aldeia Maturuca, sede da resistência Macuxi, durante uma oficina de edição e de desenho animado.
19:35h – 19:55: Documentário: Vamos a Luta! (Roraima, 2002, 18 minutos)Diretor: Divino TserewahúFotografia: Divino TserewahúEdição: Leonardo SetteProdução: Vídeo nas Aldeias.Sinopse: Em abril 2002, os índios Makuxi da reserva Raposa Serra do Sol comemoram 25 anos de luta pelo reconhecimento definitivo da reserva. Divino Tserewahú, realizador Xavante, vai ao encontro dos seus “parentes” e registra as comemorações e a demonstração de força do exército de fronteira para intimidar os índios. Divino anifesta a sua surpresa diante de tal confrontação.
19:55h-20h05 – Reprise do vídeo da Campanha.20:05h – 20:30 – Trilhas do Conhecimento (Mato Grosso, 2004, 18 minutos)20:30h – Encerramento das atividades na Arena do Palacete rovincial.
ESPAÇO MUSEU DA IMAGEM E SOM DA AMAZONIA – MISAM(Palacete Provincial)16:00h – 20:00h -Exibição do vídeo da campanhaEscolha o seu Vídeo nas Aldeias
REALIZAÇÃO:Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia BrasileiraAPOIO:Conselho Indigenista Missionário – CIMIEquipe ItineranteUniversidade Federal do Amazonas – UFAMMuseu Amazônico - Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social – PPGASNúcleo de Antropologia Visual – NAVI/UFAMUniversidade do Estado do Amazonas – UEAPró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários – PROEXServiço de Cooperação com o Povo Yanomami – SECOYAServiço de Ação, Reflexão e Educação Social – SARESPastoral da JuventudeVia CampesinaComissão Pastoral da TerraFórum Nacional pela Reforma AgráriaOperação Amazônia Nativa – OPANCáritasCUT – AMManos UnidasGreenpeaceFundação Estadual dos Povos Indígenas – FEPISecretaria de Estado de CulturaInformações: (92) 3621-7501 (COIAB)/ 3238-3317 (CIMI)/ 3646-2775 (SECOYA)Site: www.campanhaamazoniaindigena.synthasite.com

Comments