Programação da Semana dos Povos Indígenas

Semana dos Povos Indígenas 2011
ICHL – UFAM 

Dia 18/abril
Tarde – 12:30  hs
Auditório Rio Negro/ ICHL
Filme: “Terra Vermelha”, direção de Marcos Bechis.

Dia 19/abril - Dia do Índio
Manhã – 09:00 hs
Auditório Rio Negro/ ICHL
Mesa-Redonda: "Autonomia dos Povos Indígenas e Mega-Projetos na Amazônia"
Participação : Kura Kanamari, Liderança indígena do Vale do Javari: "A situação dos povos indígenas no Vale do Javari".
Sônia Guajajara, Vice-Coordenadora da Coiab: “Projetos de desenvolvimento e os povos indígenas isolados no Maranhão".                  
Guenter Francisco Loebens -  Cimi Norte I: “Povos indígenas isolados: resistência na Amazônia".
Coordenação: Lino João de Oliveira Neves, Departamento de Antropologia/UFAM

Tarde – 12:30  hs
Projeção do filme: “Corumbiara”, direção de Vincent Carelli.
Após o filme haverá debate com especialistas da questão indígena.

Dia 20/abril
Tarde – 12:30  hs
Auditório Rio Negro/ ICHL
Filme: “Jururã, o espírito da floresta”, direção de Armando Lucena.

Corumbiara
Documentário premiado, com cinco prêmios no Festival de Cinema de Gramado, em agosto passado, incluindo os Kikitos de melhor filme e direção dado a Vincent Carelli, coordenador da organização não-governamental Vídeo nas Aldeias, com sede em Olinda.

Corumbiara revela Brasil desconhecido
Apesar de trabalhar com um tema pesado, como a disputa envolvendo terras indígenas, Carelli fez um filme envolvente, com todos os elementos necessários para se fazer cinema. Corumbiara tem ritmo, mescla cenas de suspense e tensão com um olhar sutil e, sobretudo, verdadeiro, comprometido. O documentário é um relato político que reflete os 20 anos de dedicação de Carelli e do indigenista Marcelo Santos para descobrir indícios dos conflitos ocorridos na gleba Corumbiara, em Rondônia.

Corumbiara revela um Brasil desconhecido, escondido na floresta e nos interesses políticos do sistema do coronelismo. O filme desperta reação semelhante ao fascínio temeroso dos índios ao entrarem em contato com os brancos, descortinando a incapacidade do ser humano em se comunicar com o outro. Esteja ela na floresta, numa fazenda ou por meio de instituições como a Funai, a Justiça, a polícia e o Ibama.
Thiago Corrêa
www. clipmail2.interjornal.com.br 

Realização:
Laboratório Panamazônico – LEPAPIS/DAN/ICHL
Cine e Vídeo Tarumã – Projeto de Extensão, DECOM/ICHL
Conselho Indigenista Missionário – CIMI Regional Norte I

Comments