Nossa homenagem a um grande guerreiro

Seu Garcia foi um personagem muito conhecido no bairro de Educandos e em outros círculos da cidade de Manaus. Não era, digamos, uma celebridade de ocasião, não freqüentava colunas sociais e nunca apareceu com estardalhaço nas páginas dos jornais ou noticiário de televisão. Não era seu estilo. Mas seu nome e sua fama corriam pela cidade desde o final dos anos 60. Uns diziam que a figura dele impunha certo “temor” - embora nunca alguém tenha testemunhado algo que justificasse tal “temor”. Certo é que ele impunha respeito a todos que o conheciam.
Sua trajetória foi marcada por muito trabalho, honra e dignidade. Nascido em Alenquer, no Pará, durante a adolescência viajava entre Belém e Manaus a bordo de um navio de propriedade de seu padrinho. Numa dessas viagens fincou definitivamente os pés na capital amazonense, onde desde sua juventude trabalhou como protético em vários pontos da Avenida Leopoldo Péres - profissão que o aproximou de pessoas de todas as classes sociais do bairro de Educandos.
Animado pela popularidade, chegou a lançar seu nome na disputa por uma cadeira no parlamento municipal. Não demorou a perceber que na arena política os bons propósitos são, na prática, critérios que perdem de longe para o poder econômico e para a rapinagem. Não era, portanto, o melhor caminho a seguir...
Foi no trabalho, então, que seu Garcia apostou todas as suas fichas e mostrou todo seu valor. Servidor dedicado, passava a maior parte dos seus dias entre o consultório particular e o hospital Adriano Jorge, onde trabalhava nos últimos anos. Os filhos e filhas são testemunhas do quanto era difícil arrancá-lo do hospital ou do consultório – feito que só era possível a custa de muita lábia ou de algum “truque” quando ele parecia estar “desarmado”.  
Seu Garcia não está mais entre nós, mas era assim que o conhecíamos, era assim que o víamos: determinado, dedicado, trabalhando dura e incansavelmente; levando apoio a muitos que ele sequer conhecia; afagando os filhos; contando muitas estórias. E essa a última imagem que eu pude ver: tranqüilo, vigoroso, um grande homem, um grande cidadão, digno de todas as homenagens.
Valeu, Tio!!!

Comments