Indígena denuncia agricultora por fraude

A indígena Rosa Souza da Silva Apurinã registrou queixa na delegacia de polícia de Tapauá (AM) - município localizado ao Sul do estado do Amazonas, a 565 quilômetros de Manaus em linha reta -, contra a agricultora Cinete Vicente da Silva, acusada de desviar dinheiro da aposentadoria e de simular a morte da indígena em setembro do ano passado.
De acordo com o titular da delegacia de polícia de Tapauá, Sargento Rildo da Costa Santos, a indígena compareceu à delegacia no dia 15 de junho passado para prestar depoimento.  Rosa Apurinã denunciou que a agricultora vinha se apropriando do dinheiro referente à aposentadoria e de ter feito empréstimo bancários indevidamente, utilizando uma procuração lavrada no livro 027, às folhas 251, no Cartório do Judicial e Anexos da Comarca de Tapauá. Ainda de acordo com o delegado, com base nas informações prestadas pela indígena, foi solicitado ao juiz da Comarca um mandado de busca e apreensão.
“Nós apreendemos na casa de dona Cinete 15 procurações de indígenas e vários cartões magnéticos com os quais ela recebia aposentadoria de indígenas e ribeirinhos da região”, informou sargento Rildo. “O inquérito foi instaurado e, dentro de alguns dias, estaremos encaminhando para a Polícia Federal, que é o órgão competente para investigar o caso envolvendo os indígenas”, acrescentou.
Cinete Vicente da Silva não foi localizada na cidade de Tapauá, onde mora, para prestar informações sobre o caso. Sargento Rildo disse ter tomado conhecimento de que em setembro do ano passado, Cinete Vicente da Silva registrou na delegacia de Manacapuru o desaparecimento de Rosa Souza da Silva Apurinã. Consta no boletim de ocorrência por Cinete Vicente registrado no dia 30 de setembro de 2010 na delegacia daquele município, que ela viaja com destino a Manaus, no barco Silviane, na companhia de Rosa Apurinã “quando esta  desapareceu e provavelmente caiu no rio Purus nas proximidades da cidade de Beruri/AM, e apesar da embarcação ter realizado buscas durante três dias e três noites, mas não encontraram seu corpo”.

Manaus (AM), 24 de junho de 2011
Conselho Indigenista Missionário
Assessoria de Comunicação

Comments