SOLIDARIEDADE À LUTA DO POVO YANOMAMI PELO DIREITO À SAÚDE

O Conselho Indígena de Roraima – CIR, organização indígena que luta há quarenta anos pelos direitos dos povos indígenas de Roraima, vem a público manifestar seu apoio e solidariedade ao movimento desencadeado pelas lideranças dos Povos Yanomami e Ye’kuana através de sua legítima organização HUTUKARA, visando colocar fim às indicações políticas no Distrito Sanitário Yanomami (DSY), “que deixaram um rombo financeiro provocado por graves casos de corrupção na saúde indígena em Roraima a partir de 2004”.

Mais uma vez o governo brasileiro desrespeita o direito dos povos indígenas de serem ouvidos e participar na definição das políticas públicas a eles destinadas, recusando-se a manter e efetivar no cargo a atual coordenadora do Distrito Sanitário Yanomami (DSY), que conta com o apoio e confiança dos povos indígenas pela seriedade com que desempenhou seu trabalho nos últimos anos, apesar de todas as dificuldades decorrentes do caos provocado pela FUNASA na atenção à saúde indígena em todo o país.

Os povos indígenas de Roraima são pioneiros na luta pela construção de uma Saúde Indígena diferenciada e participativa, tendo tomado a iniciativa de criar os dois primeiros distritos sanitários especiais indígenas no país ainda no início da década de noventa, liderado o movimento pela conquista do Subsistema de Saúde Indígena na virada do milênio, e finalmente a aprovação no Congresso Nacional da Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI) no ano de 2010.

Não podemos aceitar a continuidade da velha política que levou à morte e sofrimento nossos povos, devido ao uso político e manipulação dos recursos da saúde indígena para objetivos de grupos políticos anti-indígenas, que buscam a divisão e a dominação de nossas comunidades. Exigimos que o Governo Brasileiro cumpra a Constituição Federal, a Convenção 169 da OIT, e a Declaração dos Direitos dos Povos Indígenas da ONU, e respeite o direito dos povos indígenas de participarem das decisões fundamentais para a sua vida.

Só assim poderemos conquistar uma saúde digna, justa e eficaz para o atendimento dos graves problemas que enfrentam as nossas comunidades.

Boa Vista – Roraima, 03 de junho de 2011.          

Comments