Índios do Vale do Javari são submetidos a exames

Ação segue até o próximo dia 20 e deverá atender a cerca de 80 indígenas da etnia Kanamari  que vivem em região de difícil acesso, próxima à fronteira com o Peru.

Começou na última segunda-feira (12) e segue até o próximo dia 20 a realização de exames clínicos para a avaliação de indígenas portadores de hepatites assistidos pelo Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) Vale do Javari, no município de Atalaia do Norte (AM) – região de difícil acesso, próxima à fronteira com o Peru. Esta é a terceira ação promovida este ano pela Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) do Ministério da Saúde, em parceria com o Instituto de Medicina Tropical do Amazonas, com o objetivo de identificar o estágio da doença e definir o tipo de tratamento específico para cada paciente.

Para a realização dos exames, aproximadamente 80 indígenas da etnia Kanamari estão sendo deslocados de suas aldeias, que ficam às margens do Rio Itaquaí, até a Casa de Apoio de Tabatinga.  Lá, os indígenas são submetidos a exames laboratoriais para a identificação de hepatites virais, além de teste rápido para HIV e sífilis, exames para a detecção de malária, testes clínicos de rotina e atualização do cartão de vacinação. A Casa de Apoio de Tabatinga é o local de acolhimento para o tratamento dos indígenas portadores de hepatites virais, que saem de suas aldeias para serem tratados e acompanhados por profissionais de saúde, como médicos, enfermeiros e técnicos de patologia clínica. Dependendo de cada caso, o tempo de duração do tratamento pode chegar a um ano.

Para a retirada dos pacientes indígenas das aldeias, que demanda seis dias de viagem pelos rios da região, o Ministério da Saúde conta com o apoio da Prefeitura de Atalaia do Norte (AM), que cedeu um barco com capacidade para transportar 130 passageiros. Os exames laboratoriais estão sendo realizados em conjunto com o Hospital de Guarnição de Tabatinga e com o Laboratório de Fronteira do Amazonas.

BALANÇO – Este ano, o DSEI Vale do Javari promoveu outras duas ações para exames clínicos em indígenas da região, beneficiando 203 índios das etnias Matis, Mayoruna e Marubo. A primeira ação foi realizada em maio e atendeu a 98 índios. A segunda ocorreu em outubro e envolveu 105 indígenas.

Durante a realização dessa terceira etapa, os indígenas identificados como portadores de hepatites durante o primeiro e segundo manejo clínico serão reavaliados a fim de se verificar a evolução do tratamento e também identificar os indígenas aptos a receber alta e retornar  as aldeias. Vale ressaltar que os indígenas que são submetidos aos exames na Casa de Tabatinga já participaram anteriormente de triagem sorológica nas aldeias e alguns foram identificados como suspeitos de serem portadores de hepatites B e D.

Com realização desse tipo de ação, o Ministério da Saúde espera reduzir a incidência de hepatites virais entre indígenas do DSEI Vale do Javari. O Distrito, que é a base regional em atenção básica à população indígena, é responsável pela assistência a quase cinco mil índios de 105 aldeias.


Fonte: Aedê Cadaxa/Agência Saúde – Ascom/MS

Comments