ACAMPAMENTO TERRA LIVRE E A CONFERÊNCIA RIO +20 – CHAMADO GLOBAL


O ano de 2012 será decisivo para as questões da saúde do nosso planeta. De 20 a 22 de junho, o mundo estará voltado para as discussões na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, evento global que reunirá milhares de participantes de todo o mundo e dezenas de Chefes de Estados de todos os Continentes com o objetivo comum de encontrar saídas para a crise planetária em que vivemos.

O movimento indígena marcará presença por meio da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil – APIB e as organizações que a compõem, APOINME, ARPINSUL, ARPINSUDESTE, ARPINPAN, ATIGUASSÚ e COIAB, na realização do Acampamento Terra Livre – ATL 2012, numa valorosa parceria com os movimentos indígenas latino-americano através da Coordenação Andina das Organizações Indígenas – CAOI e Conselho Indígena da Centro América – CICA, que juntamente com a sociedade civil organizada, ONGs socioambientalistas e população local unirão forças na Cúpula dos Povos no Aterro do Flamengo na cidade do Rio de Janeiro.

 No espaço do ATL serão discutidos três temas principais:
1-      Território;
2-      Consentimento livre prévio e informado; e
3-      Impactos dos grandes empreendimentos e exploração de recursos naturais.

Parentes, a violência do capitalismo que invade os nossos territórios precisa ser denunciada em todos os níveis. Os órgãos internacionais de defesa e promoção dos direitos humanos precisam tomar conhecimento das nossas realidades. Para os povos indígenas o modelo de desenvolvimento adotado no país vem valorizando os grandes negócios e violando direitos constitucionais.

Precisamos dar um basta nisso, pois temos a consciência que são os conhecimentos milenares dos povos indígenas que vão ajudar a salvar o planeta de crise climática em que vivemos.

A economia verde, que defendem os capitalistas, ameaça gravemente este nosso direito, por meio de políticas públicas que priorizam obras de produção e infraestrutura, grandes empreendimentos, sem considerar o nosso direito à consulta prévia.

São inúmeras as grandes obras que invadem os nossos territórios no galope do desenvolvimento insustentável. As hidrelétricas nos rios da Amazônia, a Transposição do São Francisco, o agronegócio no Centro-Oeste, as Pequenas Centrais Hidrelétricas no sul do país, emissão de títulos de terras tradicionais a fazendeiros, a indefinição dos Territórios no MS, a criminalização das nossas lideranças que lutam por justiça, o Projeto TIPNIS na Bolívia, o Plano Puebla-Panamá, aliados à truculência dos governos e seus aparatos militares, vem perpetuando o sofrimento aos povos indígenas.

Para isso é importante estarmos engajados em nossa participação na RIO+20. O Acampamento Terra Livre será o nosso espaço de discussão política e deliberação de propostas que serão encaminhadas aos representantes mundiais.

Como funcionará o Acampamento Terra Livre

 O Acampamento Terra Livre será essa grande aldeia de todos os povos. De 15 a 22 de junho reuniremos as lideranças do Brasil, da Bacia Amazônica, da América Central e dos Andes. Estimamos a participação de 1.300 indígenas do Brasil, aliados aos parentes dos outros países, trataremos juntos de questões globais que afetam diretamente os nossos territórios e comunidades, como: Direitos Territoriais e Humanos; Bens comuns; Agricultura e Soberania Alimentar; Soberania Energética, Indústria e Extrativa a partir da demanda indígena – Acesso a Políticas e Programas; Fortalecimento da Produção Indígena e, em especial como concebemos a Economia Verde.

 Já temos um número de 1.000 lideranças indígenas em movimento se preparando para sair de suas comunidades e mais 300 nas finalizações de transportes. É importante que cada caravana, grupo, pessoas que conseguiram outros apoios para deslocamento e forem para o ATL, já informe a sua organização regional número, dia e hora de chegada para somarmos ao nosso quantitativo e assim garantir alimentação e espaço no Acampamento. O momento é de luta, vamos juntar nossas forças em uma grande aliança pela igualdade e justiça social.

A nossa participação na Rio+20, não se restringirá ao ATL. A APIB credenciou cerca de 30 lideranças na Conferência Oficial. Terá também espaços próprios para manifestações culturais, artesanatos e produtos demonstrativos de iniciativas indígenas junto à Cúpula.

Neste momento chamamos atenção para alguns pontos importantes:

1 - A Articulação dos Povos Indígenas do Brasil - APIB, é a organização responsável pela realização do Acampamento Terra Livre e está coordenando a participação indígena neste espaço.

2 - É imprescindível que cada delegação que participará do Acampamento Terra Livre, informe com URGÊNCIA a APIB em Brasília ou as organizações regionais COIAB, APOINME, ARPINSUL, ARPINSUDESTE, ARPINPAN e ATYGUASU a confirmação de chegada, período de permanência e número de pessoas, para que possamos organizar o espaço para o Acampamento e alimentação.

3 - As delegações que conseguiram apoios independentes de passagens seja aérea ou terrestre  que não repassar essas informações previamente,  participarão livremente de todas as atividades, mas correm o risco de não se acomodarem no Acampamento e nem receber o credenciamento para alimentação.

 4 - Nesse período o Rio estará frio, é importante que tragam barracas,colchonetes, cobertores e agasalhos, além de todos os objetos de uso pessoal.

APIB apibsecretaria@gmail.com
APOINME apoinme@oi.com.br
ARPIPAN arpipanms@gmail.com
Arpin Sul arpinsul@yahoo.com.br
Arpin Sudeste  mauriciokarai@ig.com.br
Arpin Sudeste marioterena@ig.com.br  
COIAB secretaria@coiab.com.br
Assembleia Guarani - ATY GUASU

Articulação dos Povos Indígenas do Brasil - APIB

Comments