INDÍGENAS OCUPAM SEDE DO DSEI EM LÁBREA

 Desde as primeiras horas da manhã de hoje, 13/09, mais de 80 lideranças indígenas dos povos Apurinã, Palmari, Jarawara, Madija-Deni e Karipuna ocupam a sede do Distrito Sanitário Especial Indígena  (DSEI) do Médio Purus,localizado no Centro da cidade de Lábrea –, no sudeste do Amazonas, distante da capital, Manaus, cerca de 700 quilômetros. A precariedade no atendimento às aldeias, a imediata nomeação de Nancy Filgueiras da Costa para a coordenação do  Dsei e a não interferência de políticos na indicação para aquele órgão, são os principais motivos que à ocupação do prédio.
Dez funcionários foram orientados pelos indígenas a desocupar as dependências. Ficaram no local apenas três funcionários para liberar combustível utilizado na remoção de pacientes. O Polo Base “Chico Camilo”, localizado nos arredores da cidade, permanece funcionando para atendimento em regime de plantão. 
A manifestação foi decidida em reunião onde participaram lideranças da Federação das Organizações Indígenas do Médio Purus – Focimp, Associação de Mulheres Indígenas do Médio Purus – Amimp e membros do Conselho Distrital de Saúde Indígena – Condisi.
Os indígenas dizem que desde julho passado a coordenadora Fátima Aparecida Silva deixou a cidade, mas continua oficialmente respondendo pelo órgão. Há vários meses os indígenas manifestaram descontentamento com a atuação de Fátima Aparecida. Eles dizem que ela não participou em algumas das conferências locais de saúde e, naquelas em que compareceu, não permitiu que eles apresentassem propostas ou se pronunciassem, além de não acompanhar a situação dos polos-base.  Sem coordenação “o atendimento à saúde está muito precário e um exemplo disso é a falta de condições da Casa de Saúde Indígena – Casai de Lábrea”, diz João Neri Karipuna, coordenador do Condisi.
O Dsei do Médio Purus tem a responsabilidade de atender aldeias dos municípios de Lábrea, Tapauá e Canutama, abrangendo uma população de 8.310 indígenas dos povos Apurinã, Palmari, Jarawara, Jamamadi, Deni, Suruaha, HI-merimã, Kokama, Karipuna, Miranha, Mamori, Manoá e Juma, de acordo com dados do Condisi. Manaus (AM), 13 de setembro de 2013.
Conselho Indigenista Missionário

Regional Norte I – AM/RR

Comments