Fazendeiro brasileiro destrói floresta paraguaia da tribo Ayoreo

Um estudo realizado pela Universidade de Maryland, Estados Unidos, mostrou que a Floresta do Chaco, localizada numa planície na parte ocidental do Paraguai compartilhada com Bolívia e Argentina, é a região com maior taxa de desmatamento no mundo, Nesta floresta xerófila onde a temperatura chega a 48°C foi encontrada, em 1986, a tribo Ayoreo, que hoje corre um grave risco de extinção.

Imagens capturadas por satélite mostram a assombrosa diferença das matas entre os anos de 1990 e 2013. Para piorar a situação, após um raro encontro entre a tribo, a Ministra do Meio Ambiente, Cristina Morales e o fazendeiro brasileiro, Marcelo Bastos Ferraz (foto), principal causador da devastação acabou sem solução para os índios. Na reunião, Ferraz negou o pedido feito pelos índios para que parasse com os desmatamentos da floresta, o último refúgio de seus parentes isolados.

De acordo com os índios, na reunião que "a intenção deles era proteger o que restou da mata, mas que o dos fazendeiros é apenas desmatar”. Além de terem suas terras destruídas, vários índios estão contraindo doenças desconhecidas por eles devido ao contato com estranhos.

Em relato à ministra, um dos índios alegou que "depois do contato em 1986, muitos dos índios morreram, incluindo minha mãe... Não queremos que isso continue acontecendo”. A empresa de pecuária Yaguarete Pora S.A., de propriedade de Ferraz, vem desmatando ilegalmente a floresta dos Ayoreo para abrir caminho para a carne destinada para os mercados da Europa, Rússia e África, obrigando os índios a conviver com medo constante das escavadeiras que destroem a ilha que se tornou a floresta.

Para piorar a situação, a empresa de Ferraz recebeu recentemente uma licença para cortar mais floresta. De acordo com Nixiwaka Yawanawá um índio da Amazônia que trabalha com Survival International, "o governo paraguaio está plenamente consciente do que está acontecendo, mas, mesmo assim, continua a permitir que a floresta dos Ayoreo seja destruída, e as suas vidas ameaçadas. Precisamos gerar mais e mais atenção pública para a campanha, para que as vidas e a floresta dos Ayoreo isolados sejam protegidas”.

A Survival informou que a ministra Morales também vem recebendo milhares de mensagens de apoiadores, pedindo-lhe para parar a destruição desenfreada da floresta dos Ayoreo. Mas na reunião, Morales disse aos Ayoreo que não havia nada que podia fazer para devolver a terra para eles.

Fonte:Adital

Comments