RESISTÊNCIA ATÉ O ÚLTIMO ÍNDIO PELA GARANTIA DA EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA DE RORAIMA

A mobilização indígena em defesa da educação escolar indígena de Roraima chega a terceira semana, tempo
histórico para o movimento indígena local.
Enquanto houver persistência, haverá resistência até o último índio. Dessa forma, as lideranças indígenas, professores, estudantes, tuxauas, jovens, mulheres e demais membros da mobilização indígena retornaram de suas comunidades indígenas e voltam a ocupar a Praça do Centro Cívico, em Boa Vista, nesta segunda-feira, 24, para continuar a paralisação das escolas indígenas do Estado.
Ao concluírem as atividades na última sexta-feira, 21, as atividades iniciaram hoje, pela manhã, com a programação voltada para a elaboração do levantamento da situação das escolas indígenas no Estado.
As regiões se reuniram para apontar as prioridades a serem cumpridas pelo Governo do Estado a curto, médio e longo prazo. Um diagnóstico que só reforça aos encaminhamentos anteriores, inclusive nas últimas Assembleias Gerais dos Povos Indígenas de Roraima.
A Comissão do Movimento Indígena avalia que houve muitos avanços nesse período de diálogo constante com as instituições públicas, porém, ainda a pauta do movimento indígena não foi atendida concretamente. O movimento indígena definiu duas pautas principais de reivindicação, a garantia da aprovação do Plano Estadual de Educação, contemplando a modalidade da educação escola indígena e a saída da secretária de educação do estado, Selma Mulinari.
Apesar do Governo do Estado pronunciar que vai atender as reivindicações do movimento indígena em relação à modalidade da educação escolar indígena, até o momento, não houve nenhuma resposta e nem garantia de atendimento. Quanto à saída da Secretária, o Governo se mostra mais irredutível ainda.
Por conta disso, a mobilização indígena continua por tempo indeterminado até que, de fato, os direitos indígenas sejam respeitados e na prática, as reivindicações atendidas.
À tarde, haverá apresentações culturais e conclusões dos trabalhos de grupo.

Fonte: Ascom- CIR
Fotos: Mayra Wapichana

Comments